X

Como descobri que gosto de ser corno e ver minha esposa dando para outro

Olá, esse é o meu primeiro conto aqui no Budega do Sexo, vou usar nomes fictícios como é de costume nesse tipo de assunto. Vou me chamar de Alex e a minha esposa Raquel, somos casados há 7 anos e temos as idades nas casas dos 30 anos. Não temos filhos e trabalhamos muito, eu sou empresário no ramo de auto peças e ela no de vestuário. Sempre fomos muito safados na cama, mas nunca tratávamos o assunto de uma terceira pessoa junto com a gente nas nossas transas. Nunca tinha parado para pensar nessa hipótese e ela nunca teve coragem de me dizer algo.

Nossa safadeza era tão grande que de vez em quando comprava filmes pornôs para apimentar nossas transas. Sempre com cenas com apenas um ator e uma atriz somente. Em uma certa vez comprei um filme em que uma das cenas eram dois homens com uma mulher. Certo dia Raquel estava com um tesão imenso e eu estava cansado e já pronto para dormir, ela então colocou o filme e foi assistir se masturbando ao meu lado na cama e eu só cochilando tentando assistir. Foi então que entrou a cena da mulher chupando os paus dos dois caras, nisso Raquel acelerou as carícias na sua buceta e deu um gemido mordiscando os lábios, abri os olhos e perguntei: “o que foi?”, e ela respondeu: “essa cena me deu muito tesão, deve ser uma delícia ter dois paus para chupar”, retruquei: “está falando sério amor?”, ela: “estou, porquê? vai arranjar uma outra pica pra mim?”. Fiquei espantado com a atitude dela e por incrível que pareça meu pau também correspondeu ao tesão dela e começou a ficar duro. Tentei desviar o foco e dizer que não era certo e tudo mais e ela se masturbando e olhando para a cena do filme, em que um cara está metendo na buceta da mulher e outro chupando o clitóris, diz: “vai dizer que não você não tem vontade de chupar minha bucetinha enquanto outra pica tá metendo nela?”, fiquei tentando responder mas algo em mim não deixava eu pronunciar nenhuma palavra, até que consegui dizer: “você tá louca?” e me levantei da cama, só que o meu erro foi esse, meu pau tava duro na cueca box e ela viu e disparou: “tou louca por pica sim e você também tá gostando dessa ideia, olha como está seu pau!”, então disse: “lógico que estou de pau duro, você batendo uma siririca do meu lado, só pode ele ficar do jeito que está”, e ela indagou: “estava me masturbando a um bom tempo, foi só entrar essa cena que você se animou amor! Vem aqui chupar minha bucetinha que estou quase gozando!”. Quando ela terminou de dizer, já fui metendo a língua na buceta e chupando como se nunca a tivesse chupado. E ela: “vai amor, imagina eu chupando outro pau agora!”, meu pau começou a babar e ela percebeu, e disse: “trás aqui esse pau pra eu chupar meu futuro corninho!”. Nos chupamos muito até que gozamos um na boca do outro num meia nove sensacional e fomos dormir.

No outro dia quando acordamos, ela perguntou: “o que foi aquilo amor? Que tesão grande para quem tava já dormindo?”, e eu: “não sei meu amor, acho que a sua ideia me instigou a ficar daquele jeito”. Ela então riu e disse: “vamos botar em prática na real?”, e eu respondi: “vamos tentar amor!”, só de terminar ela passou a mão por cima do meu pau por cima do short e percebeu que eu estava bem interessado no assunto.

Os dias foram passando e comecei a pesquisar sobre esse tipo fetiche e entrar em salas de bate-papo da região atrás de algum cara desse meio. Encontrei o Guilherme, um negro com seus 30 anos, com 1,80 de altura e porte físico bem cuidado. O que me deixou espantado foi na hora que ele disse que tinha 20 cm de pau, não acreditei e trocamos mais mensagens pelo skype, por onde ele mandou fotos dele com o tal membro duro. Também mandei algumas da minha esposa e ele ficou louco tesão por ela.

No mesmo dia falei para Raquel que estava quase encaminhada “a brincadeira real”, e ela perguntou detalhes, respondi que era um negro dotado, e ela ficou animadinha e disse para eu marcar no próximo sábado após chegarmos do trabalho em nossa casa mesmo, já que moramos sozinhos mesmo ninguém atrapalharia. Falei que por mim tudo bem e que iria combinar com ele.

No mesmo dia falei com o Guilherme no skype e o mesmo concordou com o lugar, data e hora combinada. Então falei pra ele trazer uma sunga de banho pois tínhamos piscina e podia ser que não rolasse nada e ficaríamos de boa na piscina. Ele respondeu que tudo bem e se não rolasse nada não tinha problema, pois uma coisa que sabia fazer bem era esperar. Então trocamos os números de telefone e juramos sigilo e discrição total.

Enfim o sábado chegou e ao meio dia, já estava encerrando os trabalhos para poder ir para casa. As 13h já estava em casa esperando Raquel chegar enquanto dava um trato na piscina. As 13h35min ela chegou, guardou o carro e perguntou pelo Guilherme, então falei que assim que você chegasse ligaria pra ele pedindo para o mesmo vir. Ela então disse: “pois pode ligar, vou só tomar um banho e me ajeitar para termos uma tarde bem quente nessa piscina!”, e deu uma piscadinha e um sorriso de safada.

Só foi ela entrar e eu pegar celular para ligar para Guilherme, quando o mesmo atendeu, disse que já estava no jeito e em 20 minutos chegaria. Deu 14h e nada dele chegar, então meu celular tocou e era ele falando que estava perdido no nosso bairro, então falei: “Aguenta aí, que vou te resgatar!”. Antes de sair avisei Raquel de que iria buscá-lo e a mesma achou bom pois ganharia mais tempo para se ajeitar.

As 14h15min chego em casa com o Guilherme me acompanhando em sua moto de 1000 cilindradas roncando o motor. Ao ouvir o barulho Raquel colocou a cabeça na janela e fez sinal para esperarmos. Tratei de recepcionar o nosso convidado e fui buscar um isopor com cervejas para ficarmos na beira da piscina jogando papo fora enquanto aguardávamos e minha esposa.

Quando voltei com as bebidas Guilherme já estava de sunga e pronto para cair na água. Então fiquei só de sunga também e fomos beber na beira da piscina enquanto falávamos das suas experiência com outros casais. Alguns minutos depois Raquel avisa que já está descendo. Guilherme olha pra mim e diz: “que ansiedade amigo!”, e eu apenas dou um sorriso dizendo: “relaxe!”. Raquel sai da casa e vem em nossa direção vestindo um micro bikini fio dental de cor branca, que ao molhar fica meio transparente (ela é branca, com cabelos pretos, com 1,65 de altura e com belo par de peitos de encher a mão e uma bunda pra lá de gostosa). Eu e Guilherme nos levantamos e apresentei ela a ele. Eles apertam as mãos e dão os dois beijinhos como manda o costume. Dei uma cerveja pra ela e sentamos na beira da piscina e ela começou a fazer perguntas sobre as experiências dele. Percebi que o Guilherme já estava com o pau duro e com certeza Raquel também tinha notado isso. Então ela dando uma de difícil se levantou e foi pegar uma bola e sugeriu que brincássemos de bobinho dentro da água. Já saquei logo de cara as segundas intenções dela e concordei, contato o nosso amigo fosse o bobinho. Então comecei com a bola e joguei nas mãos dela, logo rapidamente Guilherme foi pra cima dela tomar a bola, ela tentou dar um olé nele e não conseguiu então ergueu a bola pro alto e foi andando para a parede da piscina com o nosso amigo de frente pra ela, até que o mesmo tirou a bola das mãos dela e jogou para mim dizendo, a brincadeira está só começando, agora faremos você de bobinha. Ela veio em minha direção com cara de espanto e falando com os lábios que ele já estava de pau duro. Dei uma risada e esperei ela chegar bem próximo de mim e para minha surpresa ela não foi com a mão na bola e sim a mão nas bolas, literalmente, e tirou meu pau, que já estava duro, pra fora da sunga e disse assim fica melhor de brincar. Então joguei a bola pro Guilherme e ela se virou esfregando a bunda gostosa no meu pau e deu um sorriso e foi em direção aonde estava a bola. Enquanto ela ia, percebi pela água que o Guilherme estava sem sunga, já que o mesmo estava com uma da cor laranja de doer nos olhos. Ao notar isso, terminei de tirar minha sunga e gritei: “boa ideia, vou ficar sem sunga também!”, Raquel olhou pra mim e pela cara dela não tinha percebido que estava indo para perto da “anaconda” do Guilherme. Ela ficou encabulada de chegar próximo dele para tomar a bola e ficou só com os braços esticados tentando tomar das mãos deles. Não sei se foi de propósito, mas Guilherme fez com que a bola tocasse na mão dela e pulasse para fora da piscina. Raquel percebeu a chance de recuperar a bola e tratou de sair fora da piscina para pegá-la, só não percebeu o grande detalhe que tinha um negão atrás dela com o pau de 20 cm duro. Quando ela percebeu já foi sendo agarrada por trás, foi aí que eu vi a cena dela se esforçando em segurar a bola e o negão roçando a pica no bunda e no meio das pernas dela. Ficaram uns 20 segundos nessa agarração até que ele conseguiu desatar os nós da parte de baixo do biquíni, deixando ele com a bucetinha do lado de fora. Quando ele vê que ela é bem raspadinha e rosadinha, solta Raquel e fica admirando com seu pau latejando e babando na cintura dela. Minha esposa olha pra ele, pro pau dele e pra mim e diz: “obrigado amor por mim arrumar uma pica do jeito que eu queria!” e caiu de boca na pica do Guilherme.

negao_esposa_piscina

Naquela altura ao ver aquela cena meu já estava babando litros. Guilherme olha pra mim e agradece por emprestar a minha esposinha pra ele. Raquel tira o pau dele da boca e diz: “emprestar não, ele está só dividindo! Vem cá amor pra eu chupar você dois!” e abocanhou a pica do negão novamente. Sai da piscina e fui em direção aos dois, com meu pau (de 17 cm) duro como pedra. Ela ajoelhou e ficou entre nós dois e começou a revezar as chupadas nas duas picas. O negão colocava para ela engasgar com a pica dele segurando a cabeça dela e soltava, onde ela retomava o fôlego com o meu pau. Nossos paus ficaram bem babados e Guilherme começou a acariciar a bucetinha da minha esposinha enquanto ela mim chupava, ele acariciava e metia um ou dois dedos e ela gemia profundamente, em certo momento ele tirou o dedo e veio uma liga do tesão dela junto. Então ele pegou ela no braço e a sentou na beira da piscina e pulou logo em seguida, saindo da água já indo ao encontro da bucetinha de Raquel para chupá-la. Quando ele caiu de boca ela começou a sussurrar e gemer com intensidade e dizendo: “chupa minha buceta molhada negão safado!”. Após alguns minutos ela começa a se contorcer e a avisar que ia gozar, ele aumentou os ritmos das chupadas até ela gozar e ficar toda trêmula e quase falecida deitada na beirada da piscina. Ele afundou na água e começou a nadar tranquilamente. Passado alguns minutos ela pula na piscina indo em direção a ele, o mesmo fica parado esperando ela vir (nesse momento entrei rapidamente e fiquei encostado na parede bem ao lado dele). Vi toda a cena boquiaberto, ela se aproximou dele, o abraçou e levantou as pernas para se enganchar nele. Então falei: “vai dar sem camisinha amor?”, ela fingiu que não ouviu e só ouvi os gemidos dos dois com o engate da pica do negão na bucetinha molhada da minha esposa. Mergulhei e fui comprovar de perto a cena que eu presenciei, a bucetinha de Raquel estava no talo do pau do Guilherme. Ele segurando as nádegas dela começa a bombar com força. E eu vendo toda a foda de pertinho embaixo d’água. Perdi o fôlego e levantei para respirar um pouco e vi os dois se beijando loucamente. Ela para um pouco de beijar e olha pra mim e fala: “meu corninho, tenta encaixar seu pau na minha buceta, que quero sentir as duas picas de vocês”. Me posicionei atrás dela e fui com a mão guiando meu pau para a bucetinha dela, o negão parou de bombar e eu consegui encaixar minha pica também, daí começamos bombar no me sentido na bucetinha, que agora devia estar um bucetona, da minha esposinha gulosa. Ela beija um e depois o outro e começou a gemer alto, avisando que ia gozar, Guilherme olhou pra mim e disse: “vamos também amigo?”, acenei com a cabeça que sim e começamos a bombar mais rápido, até que não me aguentei e gritei: “vou gozar”, e o negão: “eu também tou gozando nessa safada”, e Raquel: “gozem safados que estou gozando também”, e começou a tremular e suspirar alto. Ela sentiu duas picas enchendo ela de porra, e disse: “vamos ver como ficou” e se afastou da gente e saiu da piscina. Ela ficou em pé e as porras escorrendo entre as pernas, que visão louca eu estava tendo naquele momento. Ela se agachou e ficou vendo as porras pingando da bucetinha dela.

Após um bom tempo pingando, as porras pararam de sair e ela foi tomar uma ducha na bica da piscina. O negão Guilherme saiu da piscina e foi também, os dois ficaram se pegando sob a água da bica e eu assistindo tudo. Nos amassos ele ficou acariciando o cuzinho dela com o dedo e ela beijando ele dando sorriso querendo demonstrar que estava gostoso. Ele virou ela, se abaixou e ficou lambendo e lambuzando o cuzinho dela. Ela olhou pra mim e falou: “amor, vai buscar lubrificante!”. Sai da piscina correndo e fui buscar o que ela pediu. Voltei e ela estava sentada na moto dele com a bunda super empinada e o negão atrás esfregando a cabeça da pica no cuzinho dela. Ela me ver com o gel na mão e diz: “amor lubrifica meu cuzinho pra ele meter essa pica preta nele!”. Me aproximei enchendo a mão de gel e comecei a passar e meter alguns dedos para lubrificar por dentro também. Terminei o serviço e Guilherme disse: “o amigo se importaria de passar o gel no meu pau”, olhei para Raquel e ela disse: “vai logo!”. Comecei a passar o gel como estivesse o masturbando, com movimentos de vai e vem. Rapidamente ele fala: “para senão vou gozar, e quero despejar tudo nesse cuzinho gostoso dela”. Soltei o pau dele e ele foi encaixando no cuzinho da minha esposa safada. Guilherme socou o pau dele até o talo no cuzinho da minha esposa Raquel, e ela nem se quer fez careta só sussurrava de prazer. Ele começou a bombar com rapidez e ela a gemer bem alto, até que ele avisou que iria gozar e encher o cuzinho dela de porra. Ela disse: “vai negão safado enche meu cu de porra vai!”. Ele deu um sussurro alto, parou de bombar e ficou com a pica toda dentro do rabo dela despejando a porra dele. Acho que foram de 10 a 15 jatos de porra, pelo tanto que ele se contraia engatado nela. Após algum tempo parado, ele o tirou o pau e foi em direção a mochile que ele trouxe, tirou o celular e voltou para junto de Raquel que estava “semi falecida em cima da moto” e colocou o pau por cima das nádegas dela e bateu uma foto, o pau dele era muito maior que a bunda gostosa dela. Após a fotografia, olhou pra mim e disse que depois me enviaria a mesma. Se direcionou para a bica e foi tomar uma ducha. Já eram quase 17h e Raquel estava lá debruçada em cima da moto do negão, com o cuzinho arrombado cheio de porra. Ajudei ela a se levantar e quando ela ficou em pé, uma liga se formou da buceta para o banco da moto com o gozo dela. Olhei pra ela e questionei: “gozou muito dando o cuzinho?”, e ela respondeu: “várias vezes!”. Guilherme se secou, se vestiu e foi até nós se despedir, alegando que tinha que ir e que tinha sido maravilhoso e ainda se explicou mostrando a carteira de doador de sangue para o caso de não ficar dúvida se ele teria passado doença para a gente. Apertou minha mão e agradeceu pela oportunidade, deu um beijo molhado de língua em Raquel e falou que queria repetir a dose em outra oportunidade e ela acenou que sim com a cabeça. Subiu em sua moto, abri o portão e ele saiu dando uma buzinada de despedida. Fechei o portão e só ouvi o barulho de Raquel pulando na piscina e me chamando: “vem amor, vamos continuar, pois ainda não quero brincar de bobinho com você!”. Aí meus amigos, foi muita pegação e várias gozadas durante a noite de sábado!

pica_negao_bunda_esposa

Espero que tenha gostado e em breve relatarei outras aventuras com a minha esposa Raquel! Abraço!



Comments

  1. By Oliver

    Responder

  2. By julio

    Responder

  3. By paulo

    Responder

  4. By Rubens Fiorentini

    Responder

    • Responder

    • By Ricardão

      Responder

  5. By Rodrigues

    Responder

  6. By Negrao

    Responder

  7. Responder

  8. Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *